Livro: O Verão que Mudou Minha Vida
Série: Verão- livro 1
Nome Original: The Summer I Turned Pretty
Autor(a): Jenny Han
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501088628
Páginas:  304
Avaliação: 5/5

Onde Comprar: Compare Preços

A vida de Belly é medida em férias de verão. Para ela, todas as coisas boas só acontecem entre os meses de junho e agosto, quando está na casa de praia junto a Susannah, única e melhor amiga de sua mãe e uma espécie de tia, e seus dois filhos, Jeremiah e Conrad. Mais do que irmãos postiços e companheiros de férias, os filhos de Susannah tornaram-se o centro das suas emoções. A véspera do aniversário de 16 anos de Belly marca também o fim daquele que parece ser o último verão onde estarão todos reunidos em Cousins Beach.

Eis, o verão! Praia, sol, calor e muita diversão. Nada melhor do que ter um livro leve, à beira mar, curtindo uma praia. Pois, é neste clima que falamos de O Verão que Mudou Minha Vida, nas mãos da autora Jenny Han.
A casa de praia de Susannah é o ponto de encontro de se passar o verão, é nesse lugar que, Belly, Steven e sua mãe Laurel, vão sempre. Belly é uma garota que, cuja sua vida está voltada para o verão- é como se ela vivesse só naquele tempo e apagasse os outros meses de sua vida. Tanto que, seu aniversário acontece nessa mesma época. 
 Desde pequena ela estabeleceu um contato enorme com a estação, porque é nessa época que ela pode esquecer de todos os problemas. Assim, eles chegam a Cousins Beach, na casa de praia de Suzannah e de seus dois filhos: Jeremiah e Conrad. Ao chegar na casa, algo estranho está acontecendo com Belly, os olhares mudaram, ela parece está mudando, se transformando de uma menina para uma mulher. 
Aí ele pigarreou e disse: 
– Posso te beijar?
[…] Pedir deixava tudo mais formal; me colocava na posição de ter que dizer sim. Senti vontade de revirar os olhos, mas em vez disso falei: 
– Tá. Mas da próxima vez por favor, não me pergunte antes. Perguntar a uma pessoa se ela quer te beijar é esquisito. A gente só vai e beija.
 Porém, este ano, as coisas vão ser diferentes. Steven, seu irmão mais velho, terá de partir mais cedo, para conhecer algumas opções de universidades. Conrad está mais fechado, diferente de outros verões, sua mãe passa a maior parte em seu quarto, parecendo esconder um grande segredo. Muitas vezes me perguntei: Será este o nosso último verão?
A autora nos remete a uma escrita deliciosa, falo no sentido de acharmos que estamos em uma brisa de uma praia, lendo sua obra ou vivendo junto com o enredo. Na leitura você se apega à vida de Belly e muitas vezes você se coloca em vários momentos da história por ser uma leitura jovem e gostosa. E todas as situações do enredo torna-se verossímeis por poder ter já acontecido com você, ou seus amigos, até mesmo podendo vivência- lo em um futuro.
Conrad é misterioso, não conversa muito, fuma, bebe, aprendeu chegar tarde em casa, e se afasta de seu irmão, de Belly e Steven. Jeremiah, é brincalhão, alegre, é do tipo que ensina Belly a dirigir seu carro, e dividir seus segredos. Belly, está quase completando 16 anos, é um pouco mimada, muitas vezes só pensa em si mesmo, porém, em sua idade, esses fatores são normais, até mesmo por ter crescido no meio de meninos e estar apaixonada por Conrad. 
No enredo percebemos, a forma que Belly relaciona com os meninos, tanto seu irmão, digamos “pentelho“, que  ela o considera, mas que no fundo sente sua falta quando parte, e um sentimento de amizade pelo seu amigo Jeremiah. Apesar de seu amor platônico por Conrad, que já dura vários verões.

– Por favor, não beije Belly à mesa – disse Jeremiah, fingindo que estava tendo ânsias de vômito, só para aumentar a dramaticidade da cena. – Está me deixando enjoado.
Mamãe assentiu para ele, e disse:
– Belly tem minha permissão para beijar – depois apontou com o garfo para o Cam. – Mas só isso, hein.
E Depois desatou a rir, como se aquela fosse a coisa mais engraçada que já tinha dito na vida, e Susannah tentou não sorrir, dizendo-lhe que se calasse. tive vontade de matar minha mãe, depois cometer suicídio.
Apesar, do foco ser o presente, a autora intercala dentro do enredo, momentos que aconteceram em um passado não distante, para que possamos acompanhar às consequências que os atos passados interferem no momento atual. Isso ajuda e enriquece nossa leitura, apesar de muitas vezes tornar cansativo, porém esses parágrafos são curtos e importantes. Achei muito interessante, como Jenny Han, conseguiu entrar na mente de uma menina de 11 anos, e retornar para uma de 15 anos, quase completos 16 anos. Até mesmo, outro ponto interessante, ser criada no meio só de meninos.
No enredo, você muitas vezes, torce pelo personagem, fica com raiva de outros, tenta alterar os fatos, mas no final ver que isso é impossível. Um livro que fora o conceito de crescimento, presenciamos um conceito de superação, de doação para tentar fazer daquele verão o melhor de todos. No final ficando com aquela vontade para ler sua sequência It’s not summer without you, que ainda não tem data de lançamento no Brasil.
Não fique de fora, se você quer descansar sua mente, corra e leia O Verão que Mudou Minha Vida.

Confira a trilogia da série:

1-O verão que mudou minha vida (2011);
2-It’s not summer without you (disponível em inglês);
3-We’ll always have summer (disponível em inglês)