O novo livro de John Green é sucesso mundial! A editora Intrínseca prossegue com o seu segundo dia do especial e não poderíamos ficar de fora. Hoje iremos retratar alguns dos personagens de “Tartarugas Até Lá Embaixo”.

Aza Holmes é a nossa protagonista principal. Ela sofre de TOC (transtorno obsessivo compulsivo), uma grande luta de sua mente e seu corpo. Eu fiquei bastante preso em descobrir mais sobre a doença e como a personagem seguiria sua participação dentro do livro. Uma pessoa que não consegue se controlar, poderia, ao meu ver, se privar da vivência normal diária. Mas entendi o contrário, mesmo o problema ser levado como um “espiral mental” e seus pensamentos não serem realmente os seus, consegui abstrair e conhecer mais o transtorno. O próprio autor sofreu do mesmo problema ao escrever.

Davis filho do bilionário desaparecido. Engraçado, com o personagem pude refletir em outros conceitos que presenciamos  diariamente em nossa rotina. Pessoas que possuem condições financeiras, mas não possui o afeto necessário, o carinho e a valorização interior. Muitos estão doentes de afetos e carentes de amor, procuram chamar atenção de muitas outras formar e se contaminar com o mundo. Ele possui um site e escreve poesias autoriais, é muito legal poder refletir e até amarrar com o desenrolar do livro.

Daisy é uma das personagens que mais ri. Amiga de Aza, ajuda a garota na investigação do paradeiro do bilionário Pickett. Suas sacadas são certeiras e possui uma fanfic na internet. Ela ajuda muito Aza a driblar sua relação, seus problemas e sair da prisão de sua mente. Outro ponto crucial na personagem é a fidelidade com sua amiga. Muitas pessoas fingem ser amigas das outras, na hora da doença fogem como se tivessem uma certa gastura.

Enfim, existe outros personagens da obra de Green, porém gostaria de privar somente nesses. É muito extenso o entendimento de como cada personagem foi inserido para completar o enredo e o que percebi os mesmos personagens possuem características diferentes, modos diferentes que muitas vezes se deparam conosco. O autor consegue juntar resquícios reais e inserir em seus personagens fictícios. Não é a toa que seus livros são best sellers.

Tentei analisar de uma forma pessoal, para que você leitor tomasse curiosidade de ir além, ler mesmo o livro, tomar suas próprias ideias a respeito de cada personagem amarrando entre sua realidade.